A radicalização como arma de guerra, processo de implatação e laboratórios sociais.

Trata-se de um grande jogo de estratégia geo-política, onde o estudo do comportamento das populações imigrantes auxilia na tomada de decisões políticas, visando a desestabilização de governo democráticos, permitindo a derrocada econômica e social…

Anúncios

Trata-se de um grande jogo de estratégia geo-política, onde o estudo do comportamento das populações imigrantes auxilia na tomada de decisões políticas, visando a desestabilização de governo democráticos, permitindo a derrocada econômica e social…

O processo de radicalização faz parte de um plano de dominação colonial que ajuda a estudar o comportamento das sociedades e permite ações efetivas do ponto de vista geopolítico.

Quem participa?

Uma associação entre os 5 olhos (EUA, Canada, Nova Zelândia, Grã-Bretanha e Austrália) permite que a espionagem virtual estude o comportamento de algumas populações permitindo maior acuracidade na tomada de ações no que se refere à manipulação da opinião pública.

Trata-se de um grande jogo de estratégia geo-política, onde o estudo do comportamento das populações imigrantes auxilia na tomada de decisões políticas, visando a desestabilização de governo democráticos, permitindo a derrocada econômica e social de diversas sociedades estabelecidas e bem organizadas.

Quem são os alvos?

Aconteceu no mundo Árabe, na América Latina, aconteceu na Ucrânia e já começa a dar sinais no mundo oriental à exemplo dos últimos episódios geopolíticos envolvendo a China e Taiwan.

Cada um dos cinco olhos tem uma legislação própria que permite a web-surveillance (espionagem virtual) de forma legítima dentro de seu território nacional. Acontece que o que não está previsto nem se menciona nas legislações é o fato de que estas informações serão trocadas com os demais parceiros, numa espécie de grande rede de espionagem que exerce o controle sobre grandes populações estrangeiras através de suas respectivas comunidades de imigrantes.

Como acontece?

1040436_676975322328048_1763621519_o

É um jogo lucrativo que dá acesso fácil e sem ônus algum a verdadeiras avalanches de informações estratégicas, promovidas pelos próprios imigrantes no processo de restabelecimento de suas carreiras profissionais durante os processos de imigração.

Grandes entrevistas, junto a empresas estratégicas são oferecidas, como simulação de ofertas de emprego aonde uma quantidade absurda de informações estratégicas pode ser conseguida sem o menor esforço utilizando-se apenas da boa vontade, boa fé e o interesse em progredir das pessoas que resolveram tentar a sorte além de suas fronteiras nacionais.

foto_mat_32773

É um processo que envolve além de fatores sociais como a sabotagem a profissionais imigrantes (levante muitas vezes a condições próxima à linha da miséria), compreensão neurolinguística e espionagem da vida privada para entender como reagem as populações face às arbitrariedades cometidas no contexto internacional.

Governos foram depostos baseados nestas informações a exemplo do governo Brasileiro que estava sob espionagem eletrônica deflagrada desde 2012, conforme afirma diversas matérias que circulam nas redes sociais.

ucrania_234043Quais são as ferramentas?

Uma das peças fundamentais desta engrenagem são as empresas de mídia privada, que associadas ao capital estrangeiro passam adotar um viés no discurso político. Muitas destas empresas de mídia estão envolvidas com grandes corporações de crime organizado e tráfico internacional de entorpecentes. Elas corroboram com a estratégia em questão, abrigando e divulgando informações provenientes da espionagem, colaborando para o acirramento das tensões políticas internas dos países, levando à implantação de crises econômicas monumentais bem como a verdadeiros cataclismos políticos, a exemplo das revoluções do mundo árabe em 2012, e os golpes de estado da América latina. Verdeiras convulsões sociais são criadas para dar acesso às riquezas naturais e liderança geo-política, n|ão importando se os países são parceiros ou não do ponto de vista bélico e comercial.

É uma formula mágica que permite num período extremamente curto polarizar a opinião publica através de propaganda fascista, levando ao caos social e consequente derrocada de governos legítimos sem nenhum resquício de ilegalidade ou fato jurídico que possa contribuir para isso.

Os próximos passos.

Após o período de desestabilização econômica, após as crises políticas, evidente que as alianças passam a ser feita nos bastidores, por diplomatas no uso de suas atribuições, que passam a ditar a agenda política e as medidas a serem tomadas, para então possibilitar a continuidade do processo de radicalização da população. O objetivo é claro: encontrar entre as populações “invadidas” mártires capazes de dar a vida por suas causas, e assim, aumentar ainda mais as tensões internas dos países, levando muitas vezes a justificar a própria invasão do território e a completa intromissão na auto-determinação dos povos, levando à subjugar a soberania nacional de diversos países.

Um jogo lucrativo que permite a completa expropriação dos bens de uma nação sob a égide de “ajudar na estabilização”.

Crise de refugiados. Diálogos da paz.

13332835_1560343934260614_5975556238636787184_nSobre o tema dos refugiados enquanto não se estabelecer uma verdadeira politica de paz não fracionada, as exceções e os arroubos políticos vão sempre acabar tomando um rumo já conhecido e previsível. Isto impõe insistentes tragédias à humanidade.

Paz, restabelecer as relações no âmbito do entendimento. Paz! 🙂 Propostas deveriam ser formuladas e apresentadas. 

“Qual a possibilidade de adequar a realidade vigente aos interesses que a impõem através da paz?” Não ha outra forma de lidar com o assunto, senão através de termos específicos.” 

Contratos, prazos, multas e penalidades claras.Direito internacional, que partam para os tratados. É tempo de renova-los e de refaze-los, “não apenas a agenda 2030, uma agenda humanitária de reforço às instituições internacionais, também o direito internacional e os direitos humanos. Situações de criseoferecem as melhores saidas. “Muito ataque e pouco dialogo, triste sina a deste mundo.”

Civis não podem pagar o preço dos arroubos políticos, o dever cidadão se amplia para todos. O errado pra um, vale para todos, “se forem desnudados os problemas, encontraremos as soluções nas áreas de conflito.

”Ha uma grande necessidade de fortalecer um ambiente internacional, torna-lo favorável á apresentação de acordos e propostas, respeitando-se evidentemente um certo consenso, talvez até se impor sanções e imposições. 

Devem os países envolvidos nos bombardeios, ou aqueles envolvidos diretamente com a crise dos refugiados, apresentar propostas de medidas concretas, para resolver a questão, no sentido de tomar para si os encargos humanitários, para fornecer amparo à população atingida?

Será melhor para aquele que conseguir oferecer com segurança infraestrutura de baldeaçao das populaçoes refugiadas. Ao menos, que entreguem a infraestrutura ou um certo caminho de livre acesso. Salvo conduto para os civis, por favor.

Isto pode inclusive reforçar cadeias produtivas. “É necessario reduzir ao máximo os períodos de intervenção. “Esta questão precisa ser observada.” É lamentável assistir a tudo o que se tem visto ultimamente, civilizações estão sendo exterminadas.

Ha de haver uma forma da humanidade dialogar que permita também chegar-se a denominadores comuns.

Spoiler: “De onde vem tanto ódio?”