A radicalização como arma de guerra, processo de implatação e laboratórios sociais.

Trata-se de um grande jogo de estratégia geo-política, onde o estudo do comportamento das populações imigrantes auxilia na tomada de decisões políticas, visando a desestabilização de governo democráticos, permitindo a derrocada econômica e social…

Trata-se de um grande jogo de estratégia geo-política, onde o estudo do comportamento das populações imigrantes auxilia na tomada de decisões políticas, visando a desestabilização de governo democráticos, permitindo a derrocada econômica e social…

O processo de radicalização faz parte de um plano de dominação colonial que ajuda a estudar o comportamento das sociedades e permite ações efetivas do ponto de vista geopolítico.

Quem participa?

Uma associação entre os 5 olhos (EUA, Canada, Nova Zelândia, Grã-Bretanha e Austrália) permite que a espionagem virtual estude o comportamento de algumas populações permitindo maior acuracidade na tomada de ações no que se refere à manipulação da opinião pública.

Trata-se de um grande jogo de estratégia geo-política, onde o estudo do comportamento das populações imigrantes auxilia na tomada de decisões políticas, visando a desestabilização de governo democráticos, permitindo a derrocada econômica e social de diversas sociedades estabelecidas e bem organizadas.

Quem são os alvos?

Aconteceu no mundo Árabe, na América Latina, aconteceu na Ucrânia e já começa a dar sinais no mundo oriental à exemplo dos últimos episódios geopolíticos envolvendo a China e Taiwan.

Cada um dos cinco olhos tem uma legislação própria que permite a web-surveillance (espionagem virtual) de forma legítima dentro de seu território nacional. Acontece que o que não está previsto nem se menciona nas legislações é o fato de que estas informações serão trocadas com os demais parceiros, numa espécie de grande rede de espionagem que exerce o controle sobre grandes populações estrangeiras através de suas respectivas comunidades de imigrantes.

Como acontece?

1040436_676975322328048_1763621519_o

É um jogo lucrativo que dá acesso fácil e sem ônus algum a verdadeiras avalanches de informações estratégicas, promovidas pelos próprios imigrantes no processo de restabelecimento de suas carreiras profissionais durante os processos de imigração.

Grandes entrevistas, junto a empresas estratégicas são oferecidas, como simulação de ofertas de emprego aonde uma quantidade absurda de informações estratégicas pode ser conseguida sem o menor esforço utilizando-se apenas da boa vontade, boa fé e o interesse em progredir das pessoas que resolveram tentar a sorte além de suas fronteiras nacionais.

foto_mat_32773

É um processo que envolve além de fatores sociais como a sabotagem a profissionais imigrantes (levante muitas vezes a condições próxima à linha da miséria), compreensão neurolinguística e espionagem da vida privada para entender como reagem as populações face às arbitrariedades cometidas no contexto internacional.

Governos foram depostos baseados nestas informações a exemplo do governo Brasileiro que estava sob espionagem eletrônica deflagrada desde 2012, conforme afirma diversas matérias que circulam nas redes sociais.

ucrania_234043Quais são as ferramentas?

Uma das peças fundamentais desta engrenagem são as empresas de mídia privada, que associadas ao capital estrangeiro passam adotar um viés no discurso político. Muitas destas empresas de mídia estão envolvidas com grandes corporações de crime organizado e tráfico internacional de entorpecentes. Elas corroboram com a estratégia em questão, abrigando e divulgando informações provenientes da espionagem, colaborando para o acirramento das tensões políticas internas dos países, levando à implantação de crises econômicas monumentais bem como a verdadeiros cataclismos políticos, a exemplo das revoluções do mundo árabe em 2012, e os golpes de estado da América latina. Verdeiras convulsões sociais são criadas para dar acesso às riquezas naturais e liderança geo-política, n|ão importando se os países são parceiros ou não do ponto de vista bélico e comercial.

É uma formula mágica que permite num período extremamente curto polarizar a opinião publica através de propaganda fascista, levando ao caos social e consequente derrocada de governos legítimos sem nenhum resquício de ilegalidade ou fato jurídico que possa contribuir para isso.

Os próximos passos.

Após o período de desestabilização econômica, após as crises políticas, evidente que as alianças passam a ser feita nos bastidores, por diplomatas no uso de suas atribuições, que passam a ditar a agenda política e as medidas a serem tomadas, para então possibilitar a continuidade do processo de radicalização da população. O objetivo é claro: encontrar entre as populações “invadidas” mártires capazes de dar a vida por suas causas, e assim, aumentar ainda mais as tensões internas dos países, levando muitas vezes a justificar a própria invasão do território e a completa intromissão na auto-determinação dos povos, levando à subjugar a soberania nacional de diversos países.

Um jogo lucrativo que permite a completa expropriação dos bens de uma nação sob a égide de “ajudar na estabilização”.

O advogado qualificado como Rodrigo Tacla Duran, alvo da 36a fase da operação Lava Jato foi preso em Madri na sexta-feira dia 18/11

José Serra, Chanceler brasileiro se apressa para livrar delator, peça chave de corrupção no PSDB.

O advogado qualificado como  Rodrigo Tacla Duran, alvo da 36a fase da operação Lava Jato foi preso em Madri na sexta-feira dia 18/11.
Qualificado pelo jornal Belga La Libre como sendo o « cérebro financeiro do caso Petrobras », Duran estava foragido da justiça e é apontado como um dos principais operadores de propina ligados ao PSDB segundo fontes internas da Policia Federal. A guarda civil espanhola afirma que Rodrigo Tacla Duran esta envolvido em vários esquemas de pagamentos de propina no Brasil e no exterior.
Segundo a Infobae, rede argentina de noticias , o doleiro foi preso num hotel do Centro da capital Madrilenha e esta sob custodia do « Departamento de Subornos » orgão da policia secreta espanhola. Tacla Duran era advogado da Odebrecht implicado no desvio de mais de 50 milhões de Reais para o PSDB. Segundo a Interpol, o foragido estava escondido nos Estados Unidos e apos o bloqueio de bens, evadiu-se, quando foi apanhado perodrigo-duranlas autoridades espanholas.
O Chanceler brasileiro José Serra se apressou em viagem não planejada para a Espanha. A viagem do Chanceler brasileiro foi mantida em sigilo pelo Itamaraty e até o momento do fechamento desta matéria a pagina estava fora do ar.
O envolvimento do Chanceler brasileiro na operação Lava Jato foi denunciado pela Odebrecht conforme matéria da Folha de Sao Paulo. A matéria teve tímida repercução também no portal G1. A viagem do Chanceler às pressas, sem prévia publicação na agenda ministerial reforça a tese do envolvimento do Ministro no caso. José Serra foi apontado como sendo o beneficiário do pagamento de R$ 23 milhões em propina pela Odebrecht, empresa para a qual Rodrigo Durant trabalhava.
Tentamos contato com o Ministério das Relações exteriores para elucidar a questão, mas até o momento do fechamento desta matéria, nenhuma resposta foi obtida.
Foto : Infobae e Ministerio de Asuntos Exteriores y Cooperación

Com o paoio do VioMundo

Crise de refugiados. Diálogos da paz.

13332835_1560343934260614_5975556238636787184_nSobre o tema dos refugiados enquanto não se estabelecer uma verdadeira politica de paz não fracionada, as exceções e os arroubos políticos vão sempre acabar tomando um rumo já conhecido e previsível. Isto impõe insistentes tragédias à humanidade.

Paz, restabelecer as relações no âmbito do entendimento. Paz! 🙂 Propostas deveriam ser formuladas e apresentadas. 

“Qual a possibilidade de adequar a realidade vigente aos interesses que a impõem através da paz?” Não ha outra forma de lidar com o assunto, senão através de termos específicos.” 

Contratos, prazos, multas e penalidades claras.Direito internacional, que partam para os tratados. É tempo de renova-los e de refaze-los, “não apenas a agenda 2030, uma agenda humanitária de reforço às instituições internacionais, também o direito internacional e os direitos humanos. Situações de criseoferecem as melhores saidas. “Muito ataque e pouco dialogo, triste sina a deste mundo.”

Civis não podem pagar o preço dos arroubos políticos, o dever cidadão se amplia para todos. O errado pra um, vale para todos, “se forem desnudados os problemas, encontraremos as soluções nas áreas de conflito.

”Ha uma grande necessidade de fortalecer um ambiente internacional, torna-lo favorável á apresentação de acordos e propostas, respeitando-se evidentemente um certo consenso, talvez até se impor sanções e imposições. 

Devem os países envolvidos nos bombardeios, ou aqueles envolvidos diretamente com a crise dos refugiados, apresentar propostas de medidas concretas, para resolver a questão, no sentido de tomar para si os encargos humanitários, para fornecer amparo à população atingida?

Será melhor para aquele que conseguir oferecer com segurança infraestrutura de baldeaçao das populaçoes refugiadas. Ao menos, que entreguem a infraestrutura ou um certo caminho de livre acesso. Salvo conduto para os civis, por favor.

Isto pode inclusive reforçar cadeias produtivas. “É necessario reduzir ao máximo os períodos de intervenção. “Esta questão precisa ser observada.” É lamentável assistir a tudo o que se tem visto ultimamente, civilizações estão sendo exterminadas.

Ha de haver uma forma da humanidade dialogar que permita também chegar-se a denominadores comuns.

Spoiler: “De onde vem tanto ódio?”

Um Brasileiro​ por traz da paz.

 

Humanitari0629984_400ans confront suffering wherever it may be, often at great personal sacrifice. Their contributions often go unnoticed, but their impact is felt by millions who frequently have nowhere else to turn”

Samantha Powers

Sérgio Vieira de Mello era um tipico brasileiro, engajado em reconstruir a harmonia e equilíbrio politico baseado na diplomacia. Alto comissario da ONU, o diplomata brasileiro,a quem em muito se essemelhava o próprio presidente Obama, no inicio, quando das disputas presidenciais para o seu primeiro mandato, foi uma pessoa importante no processo de pacificação de diversas zonas de conflito.

Sérgio esteve no Líbano, Bósnia, Ruanda, Kosovo, Timos Leste e no Iraque, o que lhe atribuiu uma experiencia sem precedentes além da vivencia em tantas zonas de conflito. Assassinado em 2003 num atentado contra a sede das Nações Unidas (Oo) no país, o homem que teve uma vida brilhante, um Brasileiro de alto quilate no jogo das relações internacionais. Definido pelo ex-presidente Lula em 2003, como “raro”, ou “uma semante única”, que não se pode encontrar da noite para o dia.

Podemos dizer que ele tinha tudo para ser um dos próximos lideres mundiais. Sérgio Vieira de Mello deixou um legado diplomático nas Nações Unidas, o homem por traz da resiliência, defendia uma pronta recuperação do poder institucional das zonas de conflito, visando o pronto e rápido restabelecimento da ordem, sem que o povo sentisse os impactos nocivos da ocupação.

Sérgio Vieira de Mello, aportou em Bagdá com uma junta dos melhores especialistas das Nações Unidas, visando o pronto restabelecimento após a invasão em 2003, além da determinação de entregar ao povo Iraquiano um futuro independente, após a guerra.
Em suas palavras, era importante “substituir o mais rápido possível a coalisao para recobrar plenamente a soberania do povo. Ninguém quer estar sob ocupaçao”.

O diplomata ainda questionava, “como ele se sentiria se visse sua terra natal, o Rio de Janeiro sendo invadida?!? Eu não iria gostar!” afirmou categoricamente, Sérgio, em um documentario fascinante realizado pela HBO Documentary.

Em 19 de agosto de 2003, durante uma reunião que estava sendo televisionada, o diplomata brasileiro e mais 21 pessoas, entre membros das Nações Unidas em missão no Iraque, foi assassinado num “atentado terrorista” contra a sede das Nações Unidas em Bagdá. Uma morte lenta e violenta para um homem que deixou um legado diplomático baseado na paz e nos direitos humanos, digno de ser continuado.

A morte de Sérgio Vieira de Mello deixou estarrecida a comunidade diplomática internacional e ainda estarrece! Pessoas ligadas ao Diplomata testemunharam todo o incidente e saíram ilesas, entre eles o Politólogo Libanês Ghassan Salamé e sua então assistente na época, a curdo-iraquiana Shawbo Taher.

Sérgio Vieira de Mello carregava a chama do povo brasileiro por direitos humanos, paz, equilíbrio e equidade. Um diplomata que pagou caro o preço de sua dedicação para com a humanidade. Fica a pergunta, até quando?

Em sua homenagem hoje, diremos, Sérgio Vieira de Mello vive em todo Brasileiro!

Acompanhem os documentários a respeito do diplomata, a seguir na programação do Novo Jornal Nacional.

Nós ainda sugerimos as seguintes leituras, para maior entendimento sobre a questao: “Chasing the Flame : Sergio Vieira de Mello and the Fight to Save the World” publicado em 2003 e “A Problem from Hell: America and the Age of Genocide” ambos de autoria de Samanta Powers.